HISTÓRICO

O Decreto nº 45.031 de 19 de julho de 1967, autoriza a instalação do prédio. Acontece que até aquela época, a prefeitura não dispunha de um prédio próprio e nem de um terreno que pudessem ser doado ou cedido para a instalação do Posto de Saúde. Havia, porém uma casa, na região central da cidade, que poderia ser alugado.

A prefeitura, como tinha urgência em montar tal local para atendimento da população, mais que depressa alugou o prédio. Chegou a indicar o nome de um médico para ser o chefe e a contratar mais funcionários capacitados, para o atendimento, porém o Governo do Estado, não acreditando muito no desenvolvimento da cidade, não se decidia.

Em dezembro de 1967, o prefeito Donato Caropreso enviou um ofício ao governador Abreu Sodré, informando que o Posto de Saúde local ainda não havia sido instalado. Mesmo assim, o pedido não foi atendido. Insistentemente, em janeiro de 1968, o mesmo prefeito mandou um segundo ofício.

Foi tanta, a insistência, que em novembro de 1968, portanto 10 meses depois, aconteceu a assinatura do Convênio entre o município e Secretaria de Estado da Saúde Pública.

Sendo assim, o primeiro Posto de Assistência Médica Sanitária, de Dobrada, foi instalado. O local: Rua do Comércio, atual Rua Batista Barbieri, centro, ao lado (da antiga) farmácia Frederico Scabello.

Em 25 de fevereiro de 1969, este Posto passou a atender toda população inclusive a rural.

O Posto de Saúde de Dobrada funcionou, neste endereço, até 1972.

Em 1972, as autoridades resolveram mudar de endereço. Instalaram o Departamento de Saúde num outro lugar. Levou-o para casa da frente que pertencia à família Calistini. O prefeito queria ganhar tempo para poder construir o novo prédio, que deveria ter toda infra-estrutura necessária para o bom desenvolvimento da Saúde e melhor atendimento da população.

Ali, na residência que pertenceu à família Calistini, o Posto de Saúde permaneceu até em 1976.

Um dado curioso aconteceu na final dos anos 70 e início dos anos 80. É que na primeira gestão do prefeito Alcides Bernardo do Nascimento, o Bernardão, no mesmo prédio do antigo Grupo Escolar “Benedito Raposo” passou a funcionar um Ambulatório Médico denominado “Emidio Bernardo do Nascimento”, o nome do pai do prefeito.

“Doutor Domingos Morano Neto veio trabalhar neste Ambulatório Médico. Ali ele tornou-se verdadeiramente um médico de corpo e de alma, já que sua especialidade era a psiquiatria” tirada da crônica de Paulo César Cedran - O Clube da Esquina, publicado no Jornal do Commércio, em 2005.

E este ambulatório não teve vida longa.

Em 1976 o Posto foi instalado no novo prédio ao lado do BANESPA e, neste local, que se tornara pequeno, funcionou até dia 30 de março de 2004, quando passou a funcionar onde é hoje ao lado do Portal do Sol. 

Sistema de Saúde

O Departamento de Saúde de Dobrada pertencia a Secretaria de Estado da Saúde Pública Divisão Regional de Ribeirão Preto (DIR-VI), porém o município pertencia ao Distrito Sanitário de Araraquara (DIR VII)

O atendimento era feito das 7h às 13h, pois havia apenas quatro funcionários, sendo três estaduais e um municipal. Havia uma visitadora sanitária que, quando passava em Dobrada, dava à população noções de higiene, como: fervura de água, preparo de mamadeira entre outros; um fiscal sanitário a acompanhava verificando a limpeza dos quintais e terrenos ao redor das casas bem como o estado das fossas sanitárias. Havia, também, um atendente que trabalhava no Posto aplicando injeções, vacinas, fazendo curativos, entre outras coisas; e um servente que era funcionário da Prefeitura. Os médicos faziam consultas em um único dia, apenas nas quintas feiras.

Como já citamos acima, o endereço do Posto de Saúde foi por muito tempo na Rua Batista Barbieri, o centro comercial da cidade.  Com a vinda dos migrantes para Dobrada, houve um crescimento da cidade. O Posto de Saúde, portanto, se tornou pequeno. Havia muitas reivindicações por parte da população referente à melhoria no atendimento.

Para atender a demanda foi necessário aumentar o espaço. Foi feito, então, a conclusão da nova Unidade Básica de Saúde, cuja primeira etapa já havia começado no início dos anos 90, na época do prefeito Bernardo. A administração seguinte continuou com a reforma, porém parou na metade do caminho.

Acontece que o prédio estava sendo construído sobre uma propriedade particular e, que até aquela data, a doação da mesma não havia sido passada para o patrimônio público.

A conclusão da sua obra só foi possível ser concluída, treze anos depois, em 2004 com recursos do Governo Federal.

A população dobradense passou a contar com uma Unidade Básica de Saúde com salas mais amplas e confortáveis, com mais médicos e profissionais na saúde.

Em 2004 a equipe de profissionais contava: nove médicos, um enfermeiro, sete auxiliares de enfermagem, quatro dentistas, três Assistentes Sociais, uma fisioterapeuta, uma psicóloga, e uma farmacêutica. Dobrada ganhou, ainda, os Departamentos de Vigilância Sanitária e Epidemiológica que passaram a ser um órgão muito importante para o município, pois tiveram a missão de fiscalizar todos os estabelecimentos comerciais irregulares melhorando, desta forma, a qualidade de vida dos consumidores.

Mesmo sem ter conquistado todos os sonhos o avanço na Saúde, em Dobrada, foi muito grande. Além do conforto a população passou a contar um melhor atendimento.

O sonho ainda não acabou. Quiçá um dia haver um hospital em Dobrada!


Fonte: Professor Marcolino

Covid-19

covid19

Dengue